Spread the love

O governador Ronaldo Caiado inaugurou, nesta segunda-feira (16/08), o Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri), no prédio anexo à sede da Escola Superior da Polícia Civil, no Jardim Bela Vista, região Leste de Goiânia.

A unidade reúne, no mesmo local, investigações relacionadas a discriminação contra as populações vulneráveis. “A Segurança Pública de Goiás dá mais um passo e atinge um universo maior de pessoas que não podem ser constrangidas ou agredidas de acordo com sua opção religiosa, cor e orientação sexual”, afirmou o governador.

Segundo Caiado, a iniciativa, além de um efeito punitivo e educativo. “Servirá também para educar nossas crianças para que as próximas gerações não sofram a influência que sofreram aqueles que hoje ainda fazem esse tipo de prática”, reforçou. Durante o evento, o governador anunciou que encaminhará, ainda nesta segunda-feira, projeto de lei à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) para criação da Delegacia Especializada para o Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

O novo grupo especializado deve atuar no âmbito criminal, na conscientização da população e no resgate da cidadania das vítimas de racismo, discriminação e intolerância, seja ela por cor, etnia, religião, condição, orientação sexual ou identidade de gênero. Para atender as vítimas de violência, os policiais foram treinados na Escola Superior da Polícia Civil (ESPC) para a demanda específica desses casos. O Geacri será também uma espécie de escola modelo. Os novos delegados terão que passar por lá e os demais farão uma reciclagem. A estratégia define uma política de atendimento da Polícia Civil voltada para a diversidade.

Para o vice-governador Lincoln Tejota, a sociedade não pode mais conviver com a intolerância. “Temos responsabilidade de construir dias melhores. Esta tem sido a marca de nosso governo: ser um Estado que acolhe, que estende a mão às pessoas”, destacou.

Para o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, o Geacri representa uma nova política no Estado. “No século 21, a gente ainda tem que se preocupar com crime de racismo, homofobia e outros, mas é preciso a força da lei para que um segmento pequeno da sociedade entenda que certos tratamentos são, além de humilhantes, criminosos”, afirmou.

Durante a solenidade, o titular da Secretaria de Desenvolvimento Social, Wellington Mattos, reiterou que não há espaço para intolerância e preconceito na gestão de Ronaldo Caiado. “Não se trata apenas de um trabalho de combate e prevenção à intolerância nos seus diversos matizes. Trata-se do estímulo às boas práticas, da promoção do respeito à diversidade e à construção de uma cultura de paz”, pontuou.

A portaria 323/2021, que instituiu o Geacri, foi assinada, no último dia 17 de julho, pelo delegado-geral da Polícia Civil do Estado de Goiás, Alexandre Pinto Lourenço. O grupo foi instalado em um prédio anexo à Escola Superior. De acordo com o delegado-geral, o local foi escolhido para intensificar o compromisso da Segurança Pública de Goiás em promover uma formação com foco no reconhecimento das diferenças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!