Spread the love

O ano de 2022 começou e a corrida em busca de uma cadeira de deputado estadual ou federal em Caldas Novas ganha intensidade, apresentando um número considerável de pré-candidatos. Somente na Câmara Municipal são 04 vereadores que já estão cotados para concorrer ao próximo pleito, Rodrigo Lima-PL, Marinho Câmara-PDT, Weuller Gonçalves-MDB e Daniel Caldeira-PRTB. A lista de nomes conta ainda com o radialista e ex-vereador Léo de Oliveira-PSB e dos comunicadores, Alan Cássio-MDB e Deterno Silva-Avante e outros.

A maior estância hidrotermal do mundo há algum tempo não conta com um representante na ALEGO, naturalmente que esse ano possui todas condições para fazer um ou dois deputados estaduais. Caberá agora ao eleitor, diante dos vários nomes apresentados, fazer a escolha certa. Esse ano alguns nomes estão sendo muito bem avaliados politicamente com chances concretas de eleição, como é o caso do vereador do PRTB Daniel Caldeira. Mesmo não tendo se manifestado a respeito o parlamentar vem ganhando o reconhecimento da comunidade local, devido ao trabalho incansável no combate a corrupção, na defesa dos interesses da população e no jeito combativo de atuação na Casa.

É importante salientar que nessa corrida quem não tiver popularidade, propostas de interesse da comunidade, não combater a corrupção, não ter uma certa estrutura financeira e muito trabalho prestado e reconhecido, pode não ter êxito. Deve ser levado em conta também, as dificuldades que os partidos terão na formação de chapa completa, tendo em vista a proibição de coligações proporcionais, tornando a campanha ainda mais complexa. Vale lembrar que o caldasnovense precisa evitar a pulverização de votos e os chamados paraquedistas de última hora, a fim de não prejudicar os concorrentes da terra.

Caldas Novas tem condições de eleger dois deputados estaduais e até mesmo um federal, já que possui número suficiente de eleitor apto a votar esse ano. No entanto, isso só vai acontecer se o eleitor exercer com precisão o bairrismo, votando em 1º lugar em que tem domicílio eleitoral no município, depois ter a sabedoria de concentrar votos em quem estiver em melhores condições nas pesquisas e ainda aquele que apresentar alguns requisitos básicos, como transparência, honestidade, competência e bons serviços prestados.

Por Onofre Garcia, jornalista formada pela UFG DRT-4.545/81 filiado a FENAJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!