ULTIMAS NOTICIAS

Três a cada dez famílias querem trocar de imóvel

Spread the love

Mais de um terço (34%) das famílias que têm intenção de comprar imóveis no Brasil pretendem fazer upgrade, ou seja, já vivem em casa própria e, agora, buscam um espaço mais adequado para suas necessidades. O percentual foi detectado por pesquisa da Brain Inteligência Estratégica com 1400 consumidores, incluindo Goiânia. São pessoas que buscam imóveis maiores ou menores, em bairros diferentes ou com uma nova tipologia, de acordo com o seu momento de vida. É o segundo grande motivo para a aquisição do imóvel, só ficando atrás de quem ainda está comprando pela primeira vez (42%). O terceiro motivo é a busca de investimento (15%).

A pesquisa aponta para uma mudança de comportamento do brasileiro: a troca do imóvel. Até pouco tempo atrás, a maioria permanecia a vida toda na casa própria adquirida para a família. Estudos de bancos apontam que, no passado, o brasileiro mudava-se apenas 1,8 vezes na vida de imóvel próprio. “O crédito imobiliário a taxas de juros cada vez menores é o grande motivador para esse movimento”, diz o especialista imobiliário Paulo da Silva Lima.

Em 20 anos, a taxa de juros saiu de 16,19% ao ano (2000) e chegou a 2% ao ano (2020), a menor na história do País. Financiamentos que, em 2015, chegam a 11,5% ao ano, hoje estão a uma taxa média de 6,9%, o que gerou uma queda de 35% nas parcelas, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança. A consequência foram parcelas mais baixas nos financiamentos habitacionais e famílias com menor renda tendo acesso. “E mesmo com a subida da Taxa Selic em 2021, ela continua em um patamar muito baixo, favorável aos financiamentos de longo prazo”, diz Paulo.

O aumento do crédito imobiliário foi outro fator. Para se ter uma ideia, em dezembro de 2020, os financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiam R$ 17,47 bilhões, o maior volume desde que foi registrado desde 1994, quando foi criado o Plano Real no Brasil. No total, em 2020 foram emprestados R$ 123,97 bilhões para a compra do imóvel pelo SBPE.

Na hora da mudança
Paulo salienta que a busca por um imóvel mais adequado para se viver foi ainda mais acentuada durante a pandemia, quando as famílias passaram a ter um olhar mais apurado para suas casas durante o período de isolamento e distanciamento social. Em seu dia a dia, ele tem constatado essa movimentação no estande de vendas do Maestro Residenza, mais recente lançamento em conjunto da Innovar Construtora, WV Maldi e Joule Participações.

O projeto sofisticado no Setor Oeste, com opção de plantas variadas, tem recebido o público interessado em buscar mais conforto para o seu dia a dia. São quatros metragens distintas, sendo: 88 m² (com duas suítes), 135 m² (com três suítes); 148 m² (três suítes) e 211 m² (quatro suítes). Com um projeto de alto padrão e seguinda as mais modernas tendências de tecnologia, como tomadas USB, vaga rotativa para carga de carro elétrico, todas as garagens também serão preparadas para receber pontos de recarga de veículos elétricos, porta principal dos apartamentos com fechadura eletrônica, bicicletário com acesso controlado, área comum com sistema de automação e wi-fi, serviço de concierge, lockbox nas garagens para chaves de carros e guarda-volumes para recebimento de delivery.

“Essa diversidade de plantas é importante porque ela atende a públicos que vivem fases distintas da vida, seja aquele jovem que sai da casa dos pais e busca seu primeiro imóvel, o casal jovem sem filhos. Já as metragens maiores atenderá aos casais com filhos, pequenos ou não, até aqueles casais mais maduros, cujos os filhos cresceram, que querem menos metragem, mas sem abrir mão da localização estratégica e buscando uma planta mais atual”, explica.

Mais espaço
Paulo explica que só de terreno são 2.300 m², bem maior do que de outros empreendimentos similares. Segundo ele, com todo esse espaço os incorporadores poderiam construir até duas torres, mas optou-se por um projeto com torre única justamente para agregar mais qualidade e conforto ao residencial. “É um empreendimento que oferece muito mais m² por morador, o que traz mais conforto e comodidade. Inclusive, este é um diferencial importante do projeto, já que no Setor Oeste, a grande maioria dos edifícios estão instalados em terrenos pequenos e isso gera uma dificuldade em termos de disponibilidade de áreas comuns, resultando em um menor número de vagas de garagem e áreas de lazer bem menores”, afirma Paulo.

De acordo com o coordenador de produto, a disponibilidade de uma área maior para a construção irá possibilitar outras comodidades no empreendimento, como a instalação de port-cochere para entrada e saída dos moradores, o que traz mais segurança no momento de acesso ao empreendimento. “O fato de termos uma área maior para construção possibilitou planejarmos três acessos distintos no empreendimento. O principal será exclusivo para os moradores e funcionará com sistema de biometria, haverá uma entrada exclusiva para visitantes, e outro acesso voltado para os prestadores de serviços como entregadores de delivery”, descreve Paulo.

Seguindo a forte de grande centros cosmopolitas, o Maestro Residenza contará um rooftop que será voltado para reuniões e encontros mais privativos e para a academia. “Já esta opção de lazer já voltada para aquele morador que quer fazer um evento ou reunião mais reservada e intimista. Então teremos neste último pavimento um espaço goumert, uma piscina com uma vista única para a cidade, o Sky Lounge dedicado a reuniões menores como um happy hour, o espaço Benessere que contará com sauna e hidromassagem, e uma moderna academia para”, descrever o coordenador de produto.

Design
Com um projeto atemporal, o Maestro Residenza, tem seu desenho arquitetônico assinado por renomados nome da arquitetura, entre eles o paisagista Benedito Abbud. O empreendimento adota o conceito de fachada 360º, em que por todos os lados o do prédio têm protagonismo visual.Os apartamentos, independente da tipologia, possuem janelas balcões que trazem muito mais luminosidade para os apartamentos.

O conceito do projeto contou com a contribuição dos próprios clientes potenciais, já que muito do que foi projetado contempla sugestões de uma pesquisa qualitativa feita pelos incorporadores. A preferência pelo Setor Oeste foi o critério que mais impactou na decisão de compra, conforme a pesquisa realizada pela Brain Berau de Inteligência Corporativa, seguida das opções de plantas, segurança e áreas de lazer. “Os potenciais da localização no Setor Oeste, segundo a grande maioria dos entrevistados, foram o acesso a uma boa infraestrutura de comércio e serviço local, proximidade com o trabalho e escola dos filhos, com praça do Sol e shopping Boungainville, e a diversidade gastronômica da região”, lembra Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!